De repente tudo muda...Como se fosse mágica. Uma pessoa que nada significava vira tudo pra você. De repente você se pega pensando nele o tempo todo, o vê em seus sonhos e em todo o canto. De repente você percebe que está acompanhando cada gesto dele, que ouve qualquer palavra que diz, e sorri cada vez que ele te olha. De repente ele vira a mais bela das criaturas, seu olhar o mais intenso, seu sorriso o mais bonito, sua voz a mais suave, tudo é perfeito. De repente você sente uma vontade imensa de tê-lo ao seu lado, em todos os segundos e gasta-los com... Conversas, risos, beijos, abraços, lagrimas e confissões. De repente você quer deitar em seu colo e enquanto ele te faz um cafuné imaginar o quanto seria bom envelhecer ao seu lado vendo os filhos crescerem e sentir a vida passando. De repente você pergunta o porquê disso estar acontecendo e de repente você percebe que o amor te dominou completamente.


segunda-feira, 29 de março de 2010

As vezes começo a pensar,

eu queria ter um namorado. Que ele me pegasse depois das aulas em seu carrinho esporte colorido de dois lugares me levasse por aí, até os milharais, onde as hastes estivessem altas. Eu queria ter um cara louco por mim. Perdidamente, inteirinho meu. O tipo do cara que sentasse em seu carro, sem fazer mais nada, diante da casa da minha mãe no meio da noite, com os cabelos ainda molhados do chuveiro e vestindo uma camisa de algodão bonita e limpa. Daí, iríamos ao Oriental nas noites de sexta-feira e nos sentaríamos lá, no escuro, nenhum dos dois realmente assistindo ao filme. Ou estacionaríamos diante da praia, deitaríamos na areia e contaríamos piadas. Enfiaríamos uma barraca de acampar na picape e iríamos por aí, para qualquer lugar. Tudo o que os outros veriam seria nossa poeira e fumaça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário